Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná

(41) 3252.1700

20.07 – GIRO DE NOTÍCIAS – 16H

Publicado por: Comunicação | 20 de julho de 2017

A sensação de frio diminui um pouco, amanhã, no Paraná. Ainda teremos um amanhecer gelado nas áreas mais ao sul e leste do Estado, mas não há previsão de geadas. A condição é mais favorável para formação de nevoeiros. O céu ainda fica encoberto pela manhã entre a grande Curitiba, Serra do Mar e Litoral. Nas demais regiões, faz sol desde cedo. No fim de semana o tempo já fica bem mais agradável, mas as manhãs continuam frias. Mínimas de 5ºC em Francisco Beltrão e Telêmaco Borba; máximas de 23ºC no litoral e norte pioneiro e 25 ºC no norte e noroeste.

Foz do Iguaçu teve três casos de leishmaniose em humanos e uma morte neste primeiro semestre. A divisão de Vigilância Epidemiológica da cidade emitiu um alerta sobre a prevenção à doença. Foz do Iguaçu é o único município do Paraná com registro de casos autóctones de leismaniose, aqueles em que as pessoas se contaminam na própria cidade. A principal forma de prevenir a doença é o combate ao mosquito palha. A recomendação é manter os terrenos limpos e usar repelentes em humanos e nos cães de estimação.

O juiz Sérgio Moro marcou para 13 de setembro um novo interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Desta vez, Lula depõe no processo que investiga um terreno e um apartamento em São Bernardo do Campo (SP). Segundo o Ministério Público Federal, os imóveis seriam propina paga pela Odebrecht em troca de contratos adquiridos pela empresa na Petrobras. O processo tramita na Justiça Federal em Curitiba, mas o juiz recomendou que o depoimento seja por videoconferência. A defesa do ex-presidente precisa concordar.

Depois de 24 dias suspensa por falta de dinheiro, a fabricação e a emissão de passaportes vai ser retomada a partir de amanhã. A Lei que liberou o crédito extra de mais de R$ 102 milhões para o Ministério da Justiça foi publicada hoje no Diário Oficial. O dinheiro vai ser repassado para a Polícia Federal. Segundo o governo, o valor é suficiente para manter o serviço até o fim do ano. A paralisação já dura três semanas. Mais de 150 mil pessoas deixaram de ser atendidas no período.